O uso de drones nas obras de engenharia

 

O ano de 2019 começa com bons indicadores para a Construção Civil: um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) indica que os empresários da construção civil estão otimistas em relação às perspectivas para o ano.

A visão positiva se traduz em cenários reais – as demandas a escritórios de arquitetura e maquetes aumentaram, sinalizando que em breve novos lançamentos movimentarão o mercado imobiliário.

Porém, o que veremos daqui para frente é uma realidade diferente dos anos anteriores. Além das mudanças internas – quadros de colaboradores mais enxutos, automatização de rotinas, softwares em nuvem – novas tecnologias se tornarão rotina nos canteiros de obra e prometem trazer melhores resultados a custos mais competitivos.

Uma das tecnologias mais comentadas são os chamados Veículos Aéreos Não-Tripulados, conhecidos como “VANT´s”, ou ainda, drones. Cada vez mais comuns em projetos de Engenharia, estes veículos permitem o acesso a pontos remotos, com segurança e agilidade. Além disto, de acordo com o software para processamento das imagens, as informações coletadas pelos drones podem fornecer várias informações sobre o projeto.

O conceito básico é que os VANT´s são equipamentos de pequeno porte, que acessam áreas estratégicas, para diversas inspeções e acompanhamentos de obras de Engenharia. Embora o nome popular “drone” tenha caído no conhecimento do público em geral, o uso do equipamento em obras tem sido algo relativamente recente.

A partir de 2013 o uso desta tecnologia começou a ser registrado em obras de Engenharia, para fotografias e vídeos de empreendimentos. Isso no mercado nacional, pois em outros países há mais de 8 anos as empresas fazem amplo uso dessa tecnologia.

A experiência consolidada nos projetos geridos pela Global Drone Tech aponta como principais vantagens desta tecnologia a obtenção ágil e tempestiva de informações em áreas remotas e de difícil acesso. Com o uso do VANT, é possível acessar estes pontos para realização de fotos ou vídeos em ângulos inusitados.

Muito embora tecnologias tradicionais – como rapel, andaime ou helicóptero – permitam este acesso, as mesmas podem se tornar caras em razão da mobilização e riscos de segurança envolvidos. Nestes casos, os drones conseguem se aproximar das edificações em construção, ou já construídas, para a realização de fotos e vídeos de excelente resolução, sem a necessidade de equipamentos auxiliares.

Acompanhar a obra, fazer estudos de entrada e saída de material, fiscalizar segurança do trabalho e o entorno, registrar avanço do projeto e interferências, são algumas aplicações dos VANT´s nos empreendimentos de Engenharia e Construção.

Além disso, é possível instalar uma câmera 360 graus e realizar um tour completo pela obra em alta resolução e analisar o avanço, problemas, estudar soluções, etc. Até uma câmera termográfica pode ser utilizada para avaliar infiltrações, quebra de telhado, curto-circuito, etc.

O portfólio da Global Drone Tech já registrou muitas aplicações para o uso deste equipamento, e os fabricantes a cada dia desenvolvem novas funcionalidades que trazem novas utilizações aos dados coletados pelos drones. Porém, é preciso atentar-se para a segurança na operação.

No Brasil, a regulamentação no uso destes veículos se deu primeiramente pela ANAC e depois pela ANATEL. Novas regras têm sido discutidas visando trazer maior segurança ao voo e garantindo maior proveito da tecnologia. Para quem busca uma empresa que realiza este trabalho, é importante contar com parceiros que têm seus equipamentos registrados e atualizados com medidas de segurança, como desviar de objetos ou retornar quando a bateria se encontra fraca.

Finalmente, destaca-se que o caminho das inovações em projetos de Engenharia é longo e repleto de possibilidades. As empresas precisam mergulhar no uso de aplicativos para celular, estudos de big data e no uso intenso de Inteligência Artificial. Além disso, a chamada Indústria 4.0 obrigará os profissionais da área a otimizarem o uso de materiais e novas tecnologias, modernizando as rotinas de produção e os processos auxiliares

Para ver como usamos os “VANTS” ou drones em inspeção ou na construção clique aqui

Related posts

Deixe um comentário